Raquel Abe
Já tentou ser bióloga, arquiteta e designer, mas o coração sempre pertenceu às histórias, às reflexões e aos quadrinhos. A arte sempre foi a maneira com a qual se expressou, se entendeu e através da qual tenta ajudar as outras pessoas a se encontrarem, mas não consegue escolher uma única forma para se especializar: considera-se uma 'mulher da renascença digital'. Nunca se contenta com o que já sabe e acredita que cada meio da expressão humana tem uma serventia diferente.

Você pode conferir o trabalho dela por aqui: